Notícias

Por meio da Prateleira de Projetos, UFVJM inicia planejamento da retomada de obras

publicado: 20/04/2021 19h12, última modificação: 22/04/2021 10h44
Equipe da Diretoria de Infraestrutura explica as etapas dessa importante ação da Proad

Prateleira de Projetos da UFVJM é o nome da ação que vem sendo desenvolvida pela equipe da Diretoria de Infraestrutura (Dinfra) da Pró-Reitoria de Administração (Proad), com o objetivo de atualizar e dar andamento a projetos e obras da universidade. Seus desdobramentos consistem na obtenção de informações para auxiliar as futuras licitações e a elaboração de projetos e de serviços de manutenção predial.

Para melhor organização, o trabalho foi dividido em cinco etapas. A publicação anterior abordou a primeira etapa: Informes acerca do levantamento das áreas das edificações da UFVJM. Acesse a notícia anterior clicando aqui.

A segunda etapa - Projetos de regularização - trata do trabalho desenvolvido pela equipe no sentido de normalizar, de acordo com a lei vigente, os projetos e obras já existentes nos campi da universidade. Essas demandas foram revisadas em novembro de 2019 por uma comissão instituída pelo Conselho Universitário, sob a presidência do professor Patrick Wander Endlich, então pró-reitor de Administração, quando analisou-se a Proposta de Execução Orçamentária - Exercício 2020 (Processo SEI 23086.007664/2019-11). Muitas dessas obras constam em um relatório executado nos idos de 2016/2017 - Obras paralisadas UFVJM, para fins de conhecimento da comunidade acadêmica. Obviamente, a situação atual da infraestrutura das obras precisa ser atualizada, principalmente quanto aos seus respectivos valores.

Na terceira etapa - Projetos de atualização de obras não finalizadas - a equipe da Dinfra fez o levantamento das principais obras que devem ser retomadas e alguns estudos para subsidiar a contratação de empresas para a elaboração dos projetos. Muitas das obras citadas constam no PDI 2017-2021.

Nesta segunda publicação sobre o assunto, conheça as ações da segunda e terceira etapas da Prateleira de Projetos da UFVJM:

Etapa 2 - Projetos de regularização

2.1 - Projetos de biossegurança - Campus I (Diamantina)

A elaboração dos projetos de biossegurança do Campus I tem como objetivo adequar a infraestrutura básica para atendimento aos requisitos sanitários estabelecidos pelos órgãos de controle - uma demanda de longa data do curso de Odontologia.

As adequações envolvem reforma da parte estrutural, elétrica, hidrossanitária, climatização, rede de gás e ar comprimido. Os projetos já estão em correção pela Dinfra, conforme definido pela Vigilância Sanitária.

Dentre essas adequações, destacam-se:

 Reforma da área de acesso às clínicas, com instalação de piso lavável e passível de desinfecção, além de controle de acesso do público e instalação de vestiários;

 Reforma da área da clínica integrada, para criação de fluxo limpo-sujo unilateral, com salas de paramentação e desparamentação e distribuição segura de material;

 Reforma da área da clínica de odontopediatria, para criação de espaços com dimensões apropriadas para instalação de biombos, além de fluxo limpo-sujo unilateral, com salas de paramentação e desparamentação, expurgo e distribuição segura de material;

 Reforma da área da clínica de cirurgia, para criação de fluxo limpo-sujo unilateral, com salas de paramentação e desparamentação e distribuição segura de material;

 Reforma dos laboratórios pré-clínicos de prótese, dentística-endodontia e criação do laboratório de imaginologia digital;

 Demolição do escovódromo;

 Adequações dos banheiros do Prédio I;

 Adequações do Lab. de Dentística/Departamento de Odontologia;

 Adequações do Lab. de Prótese Removível/Departamento de Odontologia;

 Adequações visando à comunicação entre a sala de radiologia e clínica de cirurgia;

 Adequações do espaço de uso de servidores terceirizados/Departamento de Odontologia;

 Aquisição de equipamentos para o curso de Odontologia.

2.2 - Ambulatórios da Famed - Campus I (Diamantina)

Provimento e adequação de espaço, no Campus I da UFVJM, para funcionamento do Ambulatório-Escola da Faculdade de Medicina de Diamantina (Famed), previsto para o pavimento térreo do Prédio II. Posteriormente, outras adequações serão planejadas e executadas visando instalar o Centro Integrado de Atenção à Saúde da UFVJM (Processo SEI: 23086.005969/2020-21).

2.3 - Concregrama - Campus I (Diamantina)

Para atender às exigências do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) referentes à quantidade de área verde em algumas dependências do Campus I, foi elaborado, em 2020, o projeto de instalação de pisos do tipo concregrama - espécie de piso misto entre concreto e grama, em que cada bloco vazado contém espaço para plantio de pequenas porções de grama. “Esse tipo de piso atende tanto às exigências do Iphan como tem características construtivas adequadas ao uso do campus”, explica a equipe da Dinfra. Além da troca do piso, serão feitos pequenos reparos e revitalização da área verde e do paisagismo do local. A obra teve início no final do ano passado e a previsão de término é no primeiro semestre de 2021. A fonte de recurso foi de emenda parlamentar.

2.4 - Rede de média tensão - Campus Janaúba

Executar a rede de média tensão do Campus Janaúba é uma das etapas pendentes para o fornecimento de energia de forma definitiva pela Cemig e para a regularização da infraestrutura elétrica básica do campus, que atualmente funciona através de fornecimento provisório de energia. Devido à extrema importância e urgência dessa obra, o projeto já foi elaborado pela Dinfra e licitado, no ano passado. A previsão de término da obra é no primeiro semestre de 2021. 

2.5 - Abrigo de resíduos - Campus JK (Diamantina)

A Diretoria de Infraestrutura elaborou projeto de um abrigo de resíduos para o Campus JK. De acordo com a equipe da Dinfra, esse abrigo é necessário para que sejam confinados os resíduos produzidos pelo campus de forma adequada, como determinam as normas e órgãos de controle. 

2.6 - Cabines de média tensão - Campus Janaúba e Campus Unaí

Em 2020, foram entregues as cabines de medição dos campi localizados em Janaúba e Unaí - etapa essencial para a eletrificação definitiva dos locais. “As cabines funcionam de forma análoga aos medidores residenciais mas, devido à alta potência e demanda de energia dos campi, a estrutura é muito mais complexa”, informa a equipe da Dinfra, responsável pela elaboração do projeto dessa obra.

2.7 - Projetos de incêndio - Todos os campi da UFVJM

A equipe da Dinfra trabalhou na elaboração dos projetos de prevenção e combate a incêndio de todos os campi da instituição, para a regularização junto ao Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMG). A prioridade é iniciar pela Moradia Estudantil e Restaurante Universitário. 

2.8 - Demanda da Faculdade Interdisciplinar de Humanidades (FIH) - Campus JK (Diamantina)

 Telhado interno 

2.9 - Demanda da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (Proace) - Campus JK (Diamantina)

O objetivo é a melhoria do atendimento aos estudantes e servidores.

 Adequação do prédio da Fisioterapia, que abrigava a Diretoria de Ensino a Distância, para abrigar o setor administrativo da Proace e ter também as salas para consulta pelos psicólogos, perícia médica e outras demandas. 

2.10 - Demanda da Pró-Reitoria de Administração (Proad) - Campus JK (Diamantina)

 Adequações de acessibilidade em todos os campi (priorizar piso tátil e adequações de banheiros para portadores de necessidades especiais).

Etapa 3 - Projetos de atualização de obras não finalizadas

3.1 - Reelaboração do projeto do restaurante - Campus JK (Diamantina)

Essa obra tem recebido especial atenção pela Diretoria de Infraestrutura e tem-se a necessidade da readequação do projeto arquitetônico do restaurante universitário e de seus projetos complementares (estrutural, elétrico, hidrossanitário, etc), para atender às conformidades. Apesar de ter sido iniciada, a obra do prédio do restaurante foi interrompida e o contrato com a empresa, encerrado. As premissas iniciais do projeto arquitetônico já foram discutidas com as unidades demandantes, mas a elaboração dos projetos ainda não foi iniciada. 

3.2 - Moradia Estudantil (Diamantina)

“Na Moradia Estudantil havia previsão de serem construídos quatro blocos. Hoje, a moradia apresenta dois blocos finalizados e outros dois que se iniciaram, mas que tiveram suas execuções interrompidas. Um dos projetos que a Diretoria de Infraestrutura tem previsão de elaboração é a de finalização do bloco IV da moradia, que tem boa parte da estrutura executada e que necessita da elaboração dos projetos complementares. Esses projetos ainda não foram iniciados. No geral, estimam-se recursos da ordem de R$21 milhões para concluir o restante e prover acolhimento de 900 estudantes do Campus JK. Devido ao valor do investimento, a Reitoria pretende executá-la através do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), órgão criado pela Lei nº 13.334, de 2016, com a finalidade de ampliar e fortalecer a interação entre o estado e a iniciativa privada por meio da celebração de contratos de parceria e de outras medidas de desestatização”, informa o reitor Janir Soares. 

3.3 - Obras do Instituto de Ciências Agrárias (ICA) - Campus Unaí

Atualmente, o prédio destinado às salas de aulas com área de 5.641,27m2 foi readequado, provisoriamente, e tem atendido a toda a demanda do campus.

O prédio administrativo e a biblioteca do Campus Unaí são duas obras com áreas, respectivamente, de 2.458,13m2 e 3.582,88m2 e estão com planejamento prioritário - PDI/UFVJM, Pág.139. O que existe atualmente é apenas a estrutura parcial dos dois prédios. Essas duas obras estão sendo readequadas, conforme consta nos Processos SEI 23086.008651/2019-69 e 23086.002001/2020-43, bem como existem demandas por iluminação, urbanização e terraplanagem do campus.

Uma vez finalizadas essas duas obras, no atual pavilhão em funcionamento serão instalados o Laboratório das Agrárias II (4.340 m2) e o Laboratório das Agrárias III (4.340m2) - PDI/UFVJM, Pág.146. “Nesse sentido, a atual gestão da reitoria (2019-2023) acordou com a direção acadêmica do ICA que essas obras serão redimensionadas (reduzidas) a um plano de exequibilidade condizente à realidade econômica do país”, pondera o Reitor Janir Soares.

Tem-se também a demanda por um hospital veterinário (5.000m2), que deve ser planejado de forma modular, prevendo a expansão futura em função da disponibilidade orçamentária.

Por fim, o trecho da pavimentação da BR 251 à portaria do campus é da responsabilidade da Prefeitura Municipal de Unaí, um imbróglio que se arrasta há anos. Têm-se em andamento tratativas para instalação de rede de água e esgoto, pois, atualmente, o fornecimento de água é realizado através de poço artesiano e o esgoto é tratado através de fossa séptica. Existem tratativas que foram realizadas com o SAAE, segundo o diretor administrativo Leandro Tavares.  

3.4 - Obras do ICT - Campus JK (Diamantina)

 Bloco VII - Engenharia de Alimentos (890 m2), Engenharia Mecânica (1.450 m2) - PDI/UFVJM, Págs.144 e 145;

 Fechamento da entrada principal do prédio do ICT;

 Rede de lógica no pavilhão 1, 2 e 3;

 Instalação de transformador para atender aos blocos 1, 2 e 3 e outro para atender ao futuro prédio da Engenharia Mecânica;

 Reforma e adequação dos prédios destinados à Engenharia Mecânica;

 Construção do prédio do curso de Engenharia Geológica;

 Aquisição de materiais permanentes (equipamentos e softwares). 

3.5 - Obras do IECT - Campus Janaúba

 Laboratório das Engenharias (5.310 m2) - PDI/UFVJM, Pág.146;

 Laboratório de Engenharias I (4.000 m2);

 Laboratórios de Engenharias II (6.150 m2);

 Manutenção e conserto da fossa séptica;

 Iluminação interna do campus;

 Pavimentação e drenagem;

 Sistema de Combate a Incêndio;

 Manutenção e construção da rede do poço artesiano;

 Construção da portaria do campus.

 3.6 - Obras do Icet - Campus do Mucuri (Teófilo Otoni)

 Galpão das Engenharias (3.560m2) - PDI/UFVJM, Pág. 145 

3.7 - Obras do prédio da Faculdade de Medicina do Mucuri (Fammuc) - Campus do Mucuri (Teófilo Otoni)

O prédio da Faculdade de Medicina do Mucuri encontra-se em fase de execução, embora com vários transtornos relativos ao projeto original (8.930 m2) - PDI/UFVJM, Pág.145.

 Equipamentos e material de escritório;

 Garantia de finalização do prédio anexo;

 Adequações elétricas. 

3.8 - Restaurante Universitário - Campus do Mucuri (Teófilo Otoni)

• Depende da finalização de adequações em vários itens, totalizando um montante de R$600 mil.

3.9 - Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (FCBS) - Campus JK (Diamantina)

 Prédio projetado para o curso de Odontologia (9.100m2);

 Parque Aquático (1.250m2);

 Piscina da Educação Física (400m2) - PDI/UFVJM, Págs.144 e 145;

 Instalação de aparelho de multimídia no prédio dos Departamentos de Ciências Básicas e de Ciências Biológicas. 

3.10 - Faculdades de Ciências Agrárias (FCA) - Campus JK (Diamantina)

 Administrativo FCA (600 m2);

 Agronomia II (1280m2);

 Laboratório Tecnologia da madeira (400m2);

 Lacticínio (1.600m2);

 Setor de Bovino e Ovinocultura (1.150m2);

 Setor de Ervas Daninhas (100m2);

 Tecnologia de Madeira (3.530m2);

 Demandas diversas conforme no Ofício n°131/2019/FCA - PDI/UFVJM, Págs.144 e 145. 

3.11 - Faculdades de Ciências Exatas (Facet) - Campus JK (Diamantina)

• Atendimento cursos da Facet (4.350m2);

 Química (1.690m2) - PDI/UFVJM, Págs.144 e 145;

 Readequações de espaços dos blocos 4, 5 e 6, visando atender demandas acadêmicas dos cursos da unidade. 

3.12 - Demandas da Superintendência da Biblioteca (Sisbi) - Campus JK (Diamantina)

 Livros: referências constantes em projeto pedagógico sem nenhuma obra na biblioteca (18 cursos, referências básicas, incluindo as disciplinas eletivas). 

Na próxima publicação, acompanhe as ações da quarta e quinta etapa da Prateleira de Projetos da UFVJM.

error while rendering plone.belowcontenttitle.contents