Inauguração do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Zoneamento Ambiental e Produtivo (Nepzap)/UFVJM

publicado 15/01/2021 11h35, última modificação 21/01/2021 14h47
21 de janeiro
Quando
21/01/2021 from 14h00 (America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Evento on-line
Site
Visite o site do evento
Adicionar evento ao calendário
iCal

 

No próximo dia 21 de janeiro, será inaugurado o Núcleo de Estudo e Pesquisa do Zoneamento Ambiental e Produtivo (Nepzap) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). A criação do núcleo é resultado de parceria entre universidade e governo do estado de Minas Gerais para aprimorar a metodologia mineira de caracterização socioeconômica e ambiental de sub-bacias hidrográficas, denominada Zoneamento Ambiental Produtivo (ZAP), conforme Decreto Estadual nº 46.650/ 2014. O evento de inauguração será on-line, às 14h, e pode ser acessado, sem necessidade de inscrição, aqui.

De acordo com o coordenador do núcleo na UFVJM, o professor do Departamento de Engenharia Florestal, Eric Bastos Gorgens, o objetivo da metodologia é disponibilizar uma base de dados e informações para subsidiar o aprimoramento da gestão ambiental por sub-bacia hidrográfica, que envolve a elaboração de planos, pactos e ações e a definição de indicadores para acompanhamento e avaliação. “Sua aplicação oferece informações sobre a disponibilidade hídrica de uma bacia hidrográfica, uso e ocupação do solo, da paisagem e suas potencialidades”, explica.

O professor destaca que o trabalho do Nepzap na UFVJM será, principalmente, aplicar, difundir e aprimorar a metodologia ZAP. “A metodologia ZAP tem sido aplicada para atender demandas da própria sociedade, que tem buscado entender e conhecer melhor a situação geral da bacia a fim de resolver questões locais ou implantar programas de desenvolvimento sustentável ou, simplesmente, preservação ambiental”.

Para Eric, há um enorme potencial de envolver a metodologia ZAP nas atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFVJM. “Em relação ao ensino, a expectativa é que o ZAP possa ser tema ou tópico de disciplinas, de projetos de iniciação científica e de trabalhos de final de curso (TCC). Na pesquisa, a metodologia ZAP poderá ser trabalhada em projetos de dissertações e teses. Na extensão poderá ser tema de diversos eventos como palestras, seminários, mesas-redondas e prestação de serviços”, reflete o professor.

O núcleo na UFVJM é composto por uma equipe multidisciplinar que atua em diversas áreas do conhecimento, como: Sistema de Informação Geográfica; Recursos Hídricos; Uso e Ocupação do Solo; e Unidades de Paisagem. “A equipe conta com pelo menos um especialista em cada uma dessas quatro áreas. Todo o trabalho gira em torno de softwares livres, e em bases de dados de acesso livre e aberto. Toda a produção do Nepzap da UFVJM também se organizará em torno de produtos abertos e livres”, detalha Eric. 

Criação da Metodologia ZAP

A metodologia mineira de caracterização socioeconômica e ambiental de sub-bacias hidrográficas, denominada Zoneamento Ambiental Produtivo (ZAP), foi proposta pelas Secretarias de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), em parceria com outros órgãos públicos e instituição de ensino e pesquisa.

A partir de 2020, a Seapa iniciou a formação de Núcleos de Estudo e Pesquisa em Zoneamento Ambiental Produtivo (Nepzap) junto a instituições de pesquisa e ensino do estado de Minas Gerais. A UFVJM é a segunda universidade federal de Minas a implantar o núcleo – o primeiro foi inaugurado, no ano passado, na Universidade Federal de Viçosa (UFV).

De acordo com o coordenador do núcleo na UFVJM, professor Eric, as equipes dos Nepzap são multidisciplinares, envolvendo conhecimentos como meio ambiente, recursos florestais, ecologia, geografia, geologia, agronomia, biologia, entre outros. E ele destaca que “a propagação da metodologia ZAP tem por objetivo contribuir para a busca da sustentabilidade associada aos processos de uso e ocupação da terra”.

Conheça a equipe Nepzap da UFVJM:

• Eric Bastos Gorgens, Departamento de Engenharia Florestal (Sistemas de Informações Geográficas; Manejo de Recursos Naturais);

• Cristiano Christófaro Matozinhos, Departamento de Engenharia Florestal (Sistemas de Informações Geográficas; Manejo dos Recursos Hídricos);

• Gleyce Campos Dutra, Departamento de Engenharia Florestal (Sistemas de Informações Geográficas; Uso e Ocupação do Solo);

• Reynaldo Campos Santana, Departamento de Engenharia Florestal (Uso e Ocupação do Solo; Unidades de Paisagem);

• Danielle Piuzana Mucida, Departamento de Geografia (Uso e Ocupação do Solo; Unidades de Paisagem);

• Marcelino Santos de Morais, Departamento de Geografia (Uso e Ocupação do Solo; Unidades de Paisagem).