Notícias

Campus Janaúba distribui 190 protetores faciais para hospitais do semiárido mineiro e centro-sul da Bahia

publicado: 27/04/2020 10h05, última modificação: 27/04/2020 11h18
“Vaquinha solidária” permite adquirir impressora 3D para ampliar as ações de solidariedade

O Campus Janaúba da UFVJM está celebrando a concretização de uma ação coletiva e institucional de combate à disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) que provoca a Covid-19. Através da colaboração de um grupo de professores dos cursos de Engenharia de Materiais, Engenharia de Minas, Engenharia Física e Bacharelado em Ciência e Tecnologia, foi possível a realização de uma "vaquinha solidária" para a aquisição de uma impressora 3D, além de consumíveis, para a fabricação de protetores faciais com o objetivo de distribuí-los para os hospitais das regiões do semiárido mineiro e centro-sul da Bahia. A ação conta com a parceria da Faculdade Vale do Gorutuba e do programa Ser-Tão Solidário.

De acordo com o professor do curso de Engenharia de Materiais, Erenilton Pereira da Silva, será doado, neste primeiro momento, um total de 190 protetores faciais, mas as doações continuam em aberto e a impressora tem funcionado 16 horas por dia. “Não temos uma quantidade limite, uma vez que a impressora produz um protetor a cada 1h20. Seguiremos produzindo o que for possível, em casa, já que ainda não pudemos levar a impressora para nosso laboratório no campus”, afirma o professor.

   
Protetores faciais prontos para serem entregues. Fotos: Luiz Henrique Barbosa/UFVJM

A iniciativa

A iniciativa partiu dos professores do Instituto de Engenharia, Ciência e Tecnologia (IECT) do Campus Janaúba da UFVJM, Erenilton Pereira da Silva e Luiz Henrique Barbosa, ambos do curso de Engenharia de Materiais, que sentiram a necessidade de cooperarem de alguma forma no combate à propagação do novo coronavírus.

Decidimos participar da ação de fabricação de protetores faciais que vem sendo realizada em todo o país e também no projeto coordenado por meu aluno, Lucas Emanoel, estagiário da Ambev, conforme matéria já publicada no Portal da UFVJM. No entanto, não temos nenhuma estrutura aqui no Campus Janaúba. Diante disso, decidimos comprar com recursos próprios uma impressora 3D”, explica Erenilton.

Segundo o professor, a ideia foi exposta para todos os professores do IECT, esclarecendo, inclusive, que a ideia era comprar a impressora e, posteriormente, doá-la ao curso de Engenharia de Materiais. Assim, conseguiram a adesão de 10 professores, sendo seis da Engenharia de Materiais, dois da Engenharia Física, um do Bacharelado em Ciência e Tecnologia e um da Engenharia de Minas.

Uma outra vaquinha solidária foi aberta para a compra de matéria-prima, que vem recebendo doações de vários professores e, até o momento, recebemos R$ 690,00 e gastamos R$ 500,00 em compra de acetato e filamentos. Essa quantidade foi suficiente para produzirmos 70 protetores. Como não temos equipamentos para o corte dos acetatos (corte a laser), entrei em contato com a Faculdade dos Vales do Gorutuba (FAVAG), que se prontificou a cortar para nós. E até o dia 24 de abril, já foram finalizados 60 protetores faciais”.

De acordo com o professor, a repercussão da matéria sobre o projeto do estudante Lucas Emanuel chegou ao Vale do Paramirim (BA), em especial nas cidades de Botuporã, Paramirim e Tanque Novo, que entraram em contato com ele para saber se poderiam produzir esses protetores para os profissionais de saúde dessas cidades.

Foi quando entrei em contato com os responsáveis pelo projeto Ser-Tão Solidário, que está à frente de várias ações aqui no Norte de Minas, para solicitar ajuda e informações sobre as cidades já atendidas. E eles nos enviaram 120 unidades de protetores faciais para que fossem encaminhados para as cidades citadas. No dia de hoje, encaminharemos 143 protetores, e estamos mapeando outras cidades na região de Janaúba que ainda não foram atendidas para que possamos doar os protetores para elas. E entregaremos também mais 30 protetores para os hospitais Regional e FUNDAJAN, aqui em Janaúba”, finaliza Erenilton.

    
Impressora 3D em processo de produção.                                                                    Montagem dos protetores faciais.      
Fotos: Luiz Henrique Barbosa/UFVJM

 


Vídeo de divulgação mostra parte do processo de produção dos protetores