Notícias

Realizado 1º Fórum de Políticas Interinstitucionais da UFVJM

publicado: 27/11/2019 11h56, última modificação: 27/11/2019 12h22
Reitor afirma que universidade tem capacidade de unir e agregar diferentes partidos políticos e ideologias


Ex-reitora pró-tempore da UFVJM, profª Mireile São Geraldo dos Santos Souza, foi homenageada na abertura do evento (Foto: Luan Cunha/UFVJM)

No último dia 22 de novembro, foi realizado em Diamantina o 1º Fórum de Políticas Interinstitucionais da UFVJM.  O evento reuniu vários políticos da região, como prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, além de um representante do Ministério da Educação (MEC), do vice-governador de Minas Gerais e secretários de Estado, bem como representantes da comunidade acadêmica e sociedade civil organizada para discutir formas de ampliar a integração da universidade com as instituições do Norte, Nordeste e Noroeste de Minas Gerais.

Os principais objetivos do fórum foram a apresentação do programa da UFVJM, “Universidade nas Comunidades”, e a apresentação das possibilidades de construção de políticas interinstitucionais de desenvolvimento que envolvam a UFVJM e as prefeituras municipais dos territórios de abrangência da universidade, além de consolidar uma Frente Parlamentar em Prol da UFVJM.

Estiveram presentes na mesa de abertura do 1º Fórum a ex-reitora pró-tempore da UFVJM, profª Mireile São Geraldo dos Santos Souza, homenageada pelo atual reitor, prof. Janir Alves Sousa, o vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, o secretário Nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, Bob Santos, o assessor especial do MEC, Coronel Paulo Roberto, o defensor público-geral de Minas Gerais, Gério Patrocínio Soares, e o prefeito de Diamantina, Juscelino Brasiliano Roque.

Para compor a Frente Parlamentar em Prol da UFVJM, estiveram presentes os deputados federais Domingos Sávio, Hercílio Coelho Diniz, Igor Timo, Rodrigo de Castro e o deputado estadual Arlen Santiago.


Um dos objetivos do fórum foi a criação da Frente Parlamentar em Prol da UFVJM. O deputado federal Rodrigo de Castro (PSDB) foi um dos que se comprometeram em apoiar a instituição (Foto: Luan Cunha/UFVJM)

O evento também contou com palestras e discussões sobre vários temas: “Ações para revitalização da Bacia do Jequitinhonha” foi conduzido pelo deputado Igor Timo e seu assessor, Sérgio Leal; o “Projeto Intermunicipal: Caminho de Saint-Hilaire” teve a apresentação do diretor de Turismo da Secretaria de Cultura, Turismo e Patrimônio de Diamantina, Luciano Amador; o “Fortalecimento das Instituições e a Importância do Desenvolvimento de Projetos” foi abordado pelo presidente da Companhia de Habitação de MG (COHAB), Bruno Oliveira Alencar; e para falar sobre “Possibilidades de projetos e pesquisas na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFVJM” foi convidado o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Marcus Vinícius Guelpeli; além do momento de fala do representante dos prefeitos, Leandro Santana, prefeito de Ponto dos Volantes e presidente da UMVALE (União dos Municípios do Vale do Jequitinhonha) e também da representante da comunidade, Maria da Conceição Fernandes.

De acordo com o vice-governador de Minas, Paulo Brant, o evento é de extrema relevância, pois é uma mobilização política em seu sentido pleno pela presença de diferentes atores da região no sentido de formular um projeto efetivo de desenvolvimento para o Vale, envolvendo os municípios e as organizações da sociedade civil. “O papel da universidade federal é fundamental, não só pelo que ela representa, como por tudo que ela traz de conhecimento e de ciência. Hoje sabemos que a economia do futuro será conduzida pelos novos conhecimentos, novas tecnologias e pela inovação. Sendo assim, é impossível pensar em qualquer projeto de desenvolvimento para os Vales que não passe pela universidade federal”, analisa o vice-governador.

“Precisamos de ciência na veia para um projeto efetivo de desenvolvimento que saia do papel. E a ideia desse 1º Fórum é que ele se transforme em um grande movimento capitaneado pela universidade, pelos prefeitos, envolvendo os parlamentares e, é claro, pela sociedade civil, que será a responsável por formular os projetos de desenvolvimento futuro dessa região. E o governo do estado, obviamente, dará todo o apoio, mas não será ele a dizer o que se deve fazer e, sim, a sociedade civil”, finaliza o vice-governador.

Para o representante do MEC, Coronel Paulo Roberto, o MEC se fez presente no evento para ofertar um ombro à UFVJM, pois vai haver mudança substancial no país, e segundo ele, essa mudança, para melhor, vai partir da universidade. “O MEC tem convicção da importância das universidades na construção de um país promissor. Nesse sentido, estamos aqui para apoiar a iniciativa de aproximação da universidade com a comunidade em prol do desenvolvimento local e regional. É preciso que a universidade deixe o lugar de líder em um município ou uma região e se aproxime da sociedade como um lugar plural, de debates de ideias, de construção do saber, de produção tecnológica. Não adianta a universidade fazer pesquisa se ela não tiver a extensão. A extensão deve ser o carro chefe da universidade, pois é exatamente através dela que a comunidade vai fazer parte do processo para que a universidade não se torne uma ilha”, afirma.

Para o coronel, é fundamental que haja uma redução no abismo que existe entre a universidade e a comunidade, para que o cidadão, pagador dos impostos que são revertidos para a construção do orçamento, que é distribuído para as universidades, tenha uma resposta do que é produzido no ensino e na pesquisa. ”A universidade é um templo sagrado do ensino e da pesquisa, mas que precisa se apresentar como extensão para o cidadão, pois, sem responsabilidade social em prol do desenvolvimento local e regional e da redução das desigualdades sociais, não há universidade”, conclui.


Participantes lotaram auditório da Pousada do Garimpo para a programação do turno da manhã do fórum (Foto: Luan Cunha/UFVJM)

Já o reitor da UFVJM, prof. Janir Alves Soares, afirmou que o saldo do 1º Fórum foi muito positivo, pois foi possível perceber como a universidade é querida no sentido de pertencimento e o quanto desejam empoderá-la. “Essa é a razão que nos leva a trabalhar de forma continuada e dar um sentido maior a cada membro que a compõe: o gestor, o professor, o técnico, o estudante, lembrando a importância da instituição. Com o 1º Fórum, pudemos perceber a capacidade da UFVJM em unir e agregar diferentes partidos políticos, diferentes formas de pensamento, de avaliação e de análise, diferentes correntes filosóficas, mostrando o verdadeiro sentido de uma universidade na sociedade, local de debate e de construção para que seja de fato uma instituição relevante”, conclui o reitor.

Assista a alguns depoimentos dos participantes do 1º Fórum de Políticas Interinstitucionais da UFVJM e veja um pouco do que aconteceu:

Veja mais fotos do evento na página da Reitoria no Facebook.