Notícias

Alunos da Medicina do Campus do Mucuri visitam comunidade quilombola

publicado: 20/05/2019 18h02, última modificação: 21/05/2019 16h42
Ação de extensão foi realizada na Comunidade Quilombola de Água Preta de Cima, em Ouro Verde de Minas (MG)

Alunos do curso de Medicina do Campus do Mucuri da UFVJM visitaram, no último dia 14 de maio, a Comunidade Quilombola de Água Preta de Cima, no município de Ouro Verde de Minas (MG). A ação de extensão foi implementada pela disciplina Práticas de Integração Ensino, Serviço e Comunidade II e teve como objetivo realizar uma roda de conversa sobre a produção de cuidado em saúde à população quilombola.

A atividade contou com a participação de 25 pessoas da comunidade e 36 alunos do 2º período, coordenados pelos professores Jandesson Mendes Coqueiro e João Victor Leite Dias e pelo técnico em Enfermagem Eliel Alves do Nascimento. A ação também contou com a mediação da psicóloga do Campus do Mucuri, Alide Altivo Gomes, que acumula a experiência com a temática Quilombola no Vale do Mucuri.

Foto da visita do alunos medicina comunidade quilombola
Foto da visita do alunos medicina comunidade quilombola - Foto: Alex de Matos Alves

De acordo com o professor Jandesson, o momento foi de produção de conhecimento e aprendizado. “Durante a roda de conversa, houve a explanação sobre formação histórica, cultura, crença e a produção de cuidado em saúde para os quilombolas com a troca entre o saber médico e o saber ancestral em saúde das comunidades tradicionais”, disse.

Foto da visita do alunos medicina comunidade quilombola
Foto da visita do alunos medicina comunidade quilombola - Foto: Alex de Matos Alves

O professor também destacou que a comunidade visitada frisou que o encontro foi um marco importante para o fortalecimento do vínculo com a universidade e o com o curso. “A proposta foi importante por fornecer subsídios para atuação médica de forma crítica e reflexiva quanto às diversas populações específicas existentes em nosso país, além do fortalecimento das ações da universidade de modo mais próximo da comunidade”, concluiu Jandesson.